Escolhendo alimento em meio ao dilúvio

Gn 8:6-12 – Passados quarenta dias, Noé abriu a janela que fizera na arca. Esperando que a terra já tivesse aparecido, Noé soltou um corvo, mas este ficou dando voltas. Depois soltou uma pomba para ver se as águas tinham diminuído na superfície da terra. Mas a pomba não encontrou lugar onde pousar os pés porque as águas ainda cobriam toda a superfície da terra e, por isso, voltou para a arca, a Noé. Ele estendeu a mão para fora, apanhou a pomba e a trouxe de volta para dentro da arca. Noé esperou mais sete dias e soltou novamente a pomba. Ao entardecer, quando a pomba voltou, trouxe em seu bico uma folha nova de oliveira. Noé então ficou sabendo que as águas tinham diminuído sobre a terra. Esperou ainda outros sete dias e de novo soltou a pomba, mas desta vez ela não voltou.

Deus decidiu destruir a terra por conta do pecado e da maldade que exalava nas suas narinas; porém achou Noé, um homem íntegro e reto diante de toda a humanidade – e por isso salvou a si mesmo e a toda sua família.

Três coisas chamam atenção nesse texto: o dilúvio, os pássaros que foram soltos quando as águas baixaram e o ramo que a pomba levou para Noé. Que similaridade temos com esses elementos?

 

O Dilúvio

Dilúvio é uma chuva muito abundante, torrencial e demorada, que alaga vastas extensões de terras. Em Gn 8 consta que além da chuva que caia  do céu, também haviam as fontes do abismo. São duas saídas de aguas: a externa (céu) e a interna (fontes).

Esse dilúvio é tido como um tempo de provações, desespero e juízo de Deus; mas também é o tempo de crer, obedecer e ser salvo.

Nós também passamos por “dilúvios” em nossas vidas – as vezes externos como problemas de saúde, familiares, profissionais entre outros. Eles também podem ser internos: como o medo, depressão, ansiedade, falta de perdão ou até os dois ao mesmo tempo.

O que define a maneira de sair do dilúvio é o alimento ingerindo enquanto se passa por esse momento. Aprenderemos com os dois pássaros citados na Palavra: o corvo e a pomba.

 

O Corvo

O corvo é uma ave normalmente caracterizada pela sua plumagem escura (geralmente preta) e encontrada em quase todos os continentes. Popularmente ele é interpretado como um sinal de mau presságio; é um pássaro que vive de bando.

Porque Noé soltou primeiro o corvo? Uma das suas maiores características do corvo é sua alimentação diversificada, da mesma maneira que ele senta nos trigos e come com outras aves, ele também senta nas carnes podres e se alimenta delas. Provavelmente Noé soltou o corvo na intenção de saber se haviam cadáveres pela superfície – e tanto havia que o corvo não retornou de uma vez, ele ficava indo e voltando.

 

A Pomba

A pomba é uma ave de cores variadas, que também voa em bando, mas que tem uma alimentação seletiva. Essa última característica deve ter sido a razão que levou Noé a soltá-la depois do corvo – ela não repousaria nos cadáveres e nem comeria coisas impuras, pois seu estomago não foi criada para isso.

Rm 8:5 – Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem, de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja.

Deus nos criou e nos chamou para nos alimentarmos de um alimento especifico:

Mt 4:4 – Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

Do que você tem se alimentado nos momentos de dilúvio?

Deus não nos chamou para sermos como os corvos. Ele não aceita que ao mesmo tempo em que buscamos comer das coisas sagradas, aceitemos nos alimentar daquilo que para Ele é impuro.

Ct 2:14 – Pomba minha, que andas pelas fendas das penhas, no oculto das ladeiras, mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e a tua face, aprazível.

Deus usa a expressão “pomba minha” sabendo o real significado: noiva minha, imaculada, separada, a que não se contamina com coisas impuras.

A pomba tem glândulas que sintetizam gordura, que depois é transferida para as penas a fim de impermeabilizá-las. Isso serve para deixar as asas leves quando estão sob chuva, e lhes protegem contra quedas. Ou seja, essa ave produz um óleo e com ele se unta de dentro para fora.

Deus colocou dentro de nós um óleo, por intermédio de seu Espírito.

Lc 4:18 – O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para pregar o Evangelho aos pobres. Ele me enviou para proclamar a libertação dos aprisionados e a recuperação da vista aos cegos; para restituir a liberdade aos oprimidos. 

Você tem o Espirito Santo de Deus, não precisa procurar alimentos nos locais errados. Busque a Deus, volte sua mente para Ele, e Ele te direcionará aos locais corretos – assim como direcionou a pomba que Noé soltou, e ela teve como voltar para ele levando um ramo de oliveira.

Renata Rayane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s